Bolo de casamento: o bolo do amor

Bolo de casamento: o bolo do amor

Conheça a história do bolo de casamento: o bolo do amor

Quando encontramos o amor, a pessoa especial para compartilharmos a vida, nos apaixonamos e logo desejamos oficializar a união. Em primeiro lugar pensamos na cerimônia e seus ritos tradicionais. Logo depois, pensamos na famosa festa de casamento sendo sempre idealizada com muito cuidado, amor e carinho, para realmente tudo sair perfeito.

Bolos de casamento por Larissa Galvão

Bolos de casamento por Larissa Galvão

E quando falamos em festa de casamento quem é o ator principal? O ponto focal de atenção dos convidados na celebração mais amorosa que conhecemos? Se você pensou em bolo de casamento, pensou certíssimo!

Nenhuma festa de casamento, luxuosa ou modesta, é completa sem esta delicadeza tentadoramente deliciosa e bem decorada: o bolo do amor.

E para aproveitar a Semana Amor com Doçura e a proximidade do Valentine’s Day, resolvi falar um pouquinho sobre a história dos bolos de casamento, alguns simbolismos e  superstições sobre esse meu amor incondicional: os bolos decorados para casamento.

 

História dos bolos de casamento

O bolo de casamento que conhecemos hoje foi uma junção de diferentes histórias ao longo do tempo. Essa deliciosa tradição possui uma narrativa que está relacionada aos costumes da Roma Antiga, datados de séculos antes de Cristo, mais de dois mil anos atrás. Descendem de uma espécie de pão/bolo à base de trigo ou cevada e preparado para as celebrações de matrimônio. Em alguns lugares, esses quitutes eram salgados como na Grécia Antiga onde os convidados recebiam biscoitos feitos com mel e gergelim, representando os momentos doces e salgados do casamento.

Bolo de noiva. Foto: Reprodução

Segundo conta a pesquisadora britânica Carol Wilson no artigo Wedding Cake: A Slice of History, o costume romano naquele tempo, era o noivo “quebrar” o quitute em pedaços sobre a cabeça da noiva, para em seguida comerem, juntos, as migalhas.

“Esses docinhos eram ‘chuviscados’ sobre a noiva e o noivo; de fato, o costume parece ter sido o de jogar os doces com entusiasmo. Eventualmente, os doces foram substituídos pelo arroz, pelas pétalas de rosa e por papel colorido, e esses novos tipos de confete continuam a ser jogados sobre os casais felizes ao redor do mundo.” 

Uma história bem conhecida é sobre o banquete organizado para a união de Lucrezia Borgia e Alfonso d’Este, filho do Duque de Ferrara, em 1487, que incluiu quase 118 quilos de bolo que, além de ser consumido, era jogado sobre os noivos,como metáfora de prosperidade e do desejo de um futuro doce.

Já na Inglaterra, mais precisamente em Yorkshire por volta do final do século XVII, os bolos eram basicamente pães semelhantes aos alimentos à base de farinha, com pouco açúcar. O açúcar era pouco difundido na época, pela dificuldade em refiná-lo.

Bolo da noiva

Ainda no século XVII, a torta de noiva tornou-se o famoso bolo da noiva, o antecessor do bolo de casamento moderno. Os bolos eram de frutas, como símbolos de fertilidade e prosperidade, e foi gradualmente tornando-se as peças centrais dos casamentos. Os bolos eram feitos conforme a possibilidade econômica da família. A torta de noiva ainda foi servida em casamentos em algumas partes da Inglaterra até o século XIX.

Bolo de casamento por Larissa Galvão

Portanto, ao longo da história, o bolo foi se consolidando como um item de luxo e de status social, quanto maior o tamanho do bolo mais prestígio social. Eles eram empilhados em vários níveis e cobertos com glacê. Um dos primeiros bolos de andares foi confeccionado para o casamento de Catarina de Médici, amante e inovadora da boa gastronomia, no século XVI. Hoje, diferentes sabores e apresentações estão disponíveis, além do tradicional bolo em camadas totalmente branco.

Simbolismos e Superstições

Alguns simbolismos e superstições ainda são muito utilizados quando falamos em bolos de casamento. A cor branca foi associada às cerimônias de casamento, quando a Rainha Victoria quis usar um vestido de casamento branco quando casou com o Príncipe Albert, em 1840. Um simbolismo que já existia em torno da cor branca e sua relação com a virgindade e a pureza feminina. Já que o bolo de casamento era originalmente conhecido como o bolo da noiva, a cobertura da cor branca tornou-se comum porque o bolo precisava refletir a noiva, simbolizando a inocência da infância e a pureza do coração.

O corte de mãos dadas na mesma faca trazem um simbolismo referente ao desejo futuro de  cumplicidade. Um dos mais tradicionais “amuletos” de boa sorte para quem acaba de se casar e para intensificar seu poder, deve ser cortado pelo noivo e pela noiva juntos, segurando a mesma faca.

Os bolos de casamento também trazem muitas superstições em suas preparações. Antigamente objetos, como um anel de vidro, eram escondidos em tortas de noiva durante a preparação. A sortuda que achasse o anel seria a próxima a se casar. Hoje em dia o desejo de prosperidade e felicidade é representado pela chuva de arroz atirada nos noivos na saída da celebração religiosa, mas alguns bolos possuem mais de um andar podendo significar também esses desejos.

Outra tradição interessante provavelmente testemunhada pela primeira vez no século 17, foi manter um pedaço de bolo sob o travesseiro de uma menina solteira no meio da noite. Para isso, o bolo foi quebrado em pedaços minúsculos, que depois passaram pelo anel de casamento da noiva. Estas peças foram então oferecidas aos convidados femininos para serem colocadas debaixo dos seus próprios travesseiros. Seguindo esse ritual, acreditava-se que eles sonhariam com seu futuro marido.

Na Idade Média os convidados é que levavam pequenos bolos para os noivos, que eram empilhados e o casal tentava se beijar sobre eles sem derrubá-los para ter sorte na nova fase.

Bolo do noivo

Também existe o bolo do noivo, utilizado como uma segunda escolha nas festas de casamento. Esta tradição foi trazida da Inglaterra pelos primeiros colonizadores, que consideravam o Bolo da Noiva feito de glacê branco, leve demais para a masculinidade.

O bolo do noivo era, normalmente, um bolo de frutas de cor escura, encharcado de licor. O bolo do noivo representa algo para ele, como um hobby, time esportivo ou profissão. Em algumas regiões ele é servido no jantar de ensaio.

Tipos de bolos

Tradicionalmente os bolos de casamento são  estruturados em camadas e andares, com colunas e separadores para obter impacto visual. A utilização de flores para decoração é uma das mais pedidas, bem como frutas seguidas geralmente de topos de bolo para enfeite.

Para a massa, habitualmente, o pão de ló é uma das mais utilizada na confecção dos bolos de casamentos, e os recheios são bem diversificados, como chocolate, ameixa, rum e abacaxi, doce de leite e outros.

Eu, particularmente, gosto de uma massa mais estruturada para meus bolos de casamento. Uso a base de massa amanteigada, para garantir que minha cobertura e modelagens 3D de pasta americana (fondant, em inglês), fiquem posicionadas perfeitamente até o final da festa. Confira a receita base de baunilha aqui.

O glacê real ou royal, feito com açúcar de confeiteiro e clara de ovo, historicamente foi a primeira cobertura que endurecia e permitia fazer decorações com bico de confeitar. Depois de seco seu transporte era bem mais fácil e poderíamos guardar para decoração na estante de casa. No entanto, não é uma cobertura boa para grandes superfícies, pois pode rachar com facilidade.
O fondant nos EUA é o mesmo que pasta americana para os brasileiros. Que é uma massinha à base de açúcar impalpável. Você pode fazer a sua pasta americana ou comprá-la pronta. É bem consistente e pode ser estendida como um manto sobre o bolo.  A estrutura da pasta me permite cortar desenhos, fazer modelagens 2D e 3D bem como flores e detalhes. Adoro a estrutura que a pasta americana me dá e recomendo muito esse tipo de cobertura para bolos estruturados.

Ah! Não se esqueça de blindar bem o seu bolo antes de aplicar a pasta americana, falei um pouquinho sobre a técnica de blindagem com tiras de acetato para bolos decorados.

Topos de bolo

Chamamos de topo de bolo aquelas estruturas que representam os noivos que ficam em cima do último andar do bolo. Geralmente os noivos estão representados em seus trajes de casamento. Antigamente eram sempre representados de modo formal, um ao lado do outro. Hoje temos várias representações engraçadas e cômicas que passam aos convidados a criatividade do casal.

Bolo de casamento por Larissa Galvão

Bolo de casamento por Larissa Galvão

Este costume foi dominante nos casamentos dos EUA, nos anos 1950, onde representava a união e ainda hoje é bem utilizado. Alguns casais preferem topos com decoração superior com flores, bandeirinhas e velas. Então, a personalidade do casal é super importante para definir não só o tipo de bolo ou cobertura mas, também, o topo do bolo.

Claro que não há debate ou dúvida sobre a importância do bolo de casamento. Apesar dessas mudanças ao longo do tempo, os bolos nos mostram também a permanência de símbolos fortes, resistentes a séculos. Sem falar na representação de amor, carinho e cumplicidade entre casais.

Bolo família por Larissa Galvãov

Bolo família por Larissa Galvão

Gostaram de saber um pouquinho mais sobre a maravilhosa história dos bolos de casamento? Pode comentar aqui embaixo sobre a sua experiência, seu bolo ou simplesmente o que achou do texto.

Por momentos mais doces!

, , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Comentarios (120)